Assistimos a: Passageiros

Título Original: Passengers

Duração: 116 minutos

Ano de Lançamento: 2017

Diretor: Morten Tyldum

País: Estados Unidos

No futuro, a humanidade começou um grande projeto de colonização de planetas fora do Sistema Solar. Os colonos, que compram as suas passagens para o mundo novo, são colocado em hibernação para a viagem, que pode demorar décadas.

A nave Avalon está transportando 5.000 passageiros para o mundo Homestead II, em uma viagem de 120 anos através da galáxia. Mesmo a tripulação da nave está dentro das cápsulas de hibernação, com a avançada inteligência artificial da Avalon cuidando da viagem através da imensidão do vácuo.

Mas, enquanto atravessa um cinturão de asteroides, a nave sofre um estrago grande e perigoso, que resulta em falhas nas cápsulas de hibernação dos passageiros. É então que Jim Preston (Chris Pratt) e Aurora Lane (Jennifer Lawrence) despertam 90 anos antes, e embarcam em uma aventura emocionante juntos para salvar a nave e todos os seus companheiros.


Mais um grande filme de ficção científica, Passageiros conta uma história linda de um casal que se encontra preso no espaço, sem a possibilidade de voltar a dormir para que cheguem vivos à nova colônia. A trama entrelaça muito bem a aventura, o drama e a ação do filme, fazendo uma montanha-russa de emoções durante a história que deixa o público preso às cadeiras com tudo o que acontece. O enredo também apresenta um forte dilema moral que muitos não conseguiriam enfrentar na vida real.

Os efeitos visuais são de tirar o fôlego, com grandes cenas no espaço e uma passagem excepcional nas proximidades de um gigante vermelho que surpreende a todos, por mais rápido que seja. Os momentos sem gravidade também são muito realista, além dos detalhes da nave em si, como os robôs que cuidam dos dois passageiros despertos, lembrando bastante o filme WALL-E.

E um destaque especial para o androide bartender Arthur (Michael Sheen), que, ainda que no papel de um androide da nave, apresenta um grande carisma importante para a história principal, mostrando um lado humano que às vezes nos distrai da verdade do metal que há por baixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *