O que é um mundo steampunk?

Steampunk

Um derivado de um derivado da ficção científica, o steampunk se desenvolveu dentro do mundo cyberpunk, e muitos consideram a sua origem nos contos clássicos de Júlio Verne, H.G. Wells, Mary Shelley, Mark Twain e muitos outros.

Originalmente contos cyberpunk ambientados no passado, o subgênero surgiu logo em seguida, se libertando do princípio de uma distopia tecnológica avançada em favor de explorar histórias alternativas, onde a humanidade desenvolveu a tecnologia a vapor a níveis impossíveis, e a sociedade possui uma forte inspiração na Inglaterra vitoriana.

É comum em mundos steampunk existirem tecnologias reais traduzidas para a situação da história, como computadores de madeira, carros e aviões à vapor e até mesmo uma caricatura de robôs feitos com mecanismos de relógios e à vapor. A eletricidade possui pouco ou nenhum papel nesses mundos, com o vapor sendo a matriz energética que move tudo.

Outro traço muito comum é que os habitantes utilizam peças e engrenagens em seus vestuários, uma forma caricata de mostrar tal sociedade. Ternos com engrenagens, óculos com lupas e até mesmo próteses rústicas são comuns, como é possível ver em vários filmes (Van Helsing, A Liga Extraordinária, A Bússola de Ouro), mesmo que esses traços sejam em segundo plano ou não tão exagerados quanto nas histórias originais.

Uma vereda do steampunk é o western steampunk, que mistura elementos clássicos do steampunk com o Velho Oeste, como no filme As Loucas Aventuras de James West. As histórias costumam se focar em temas western, com a utilização de tecnologias que são iguais ou melhoradas, como tecnologia movida à diesel, à molas e outros, em uma pequena evolução da base principal do subgênero.

Um tema também muito comum no steampunk é a apresentação de sociedades secretas, teorias da conspiração e grandes influências góticas e ocultistas, beirando em mundos de fantasia e terror, fato possibilitado pelo subgênero não ser tão sombrio ou pessimista quanto cyberpunk. Ordens de cavalheiros e associações de bandidos fazem parte essencial desse subgênero, lembrando muito, como dito antes, à ideia que existe sobre a era vitoriana da Inglaterra, com a alta sociedade elegante e uma classe baixa suja e marginalizada.

Existe uma vasta legião de fãs do steampunk, que gostam de utilizar trajes costumeiros do subgênero e realizam encontros e atividades baseadas nele, com discussões quanto às obras clássicas, produção de arte e música e outras coisas caracterizadas. São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro possuem grandes grupos de fãs steampunk, além de haver um movimento não-oficial de produtos caracterizados na Internet.

E você, o que achou do steampunk? Já leu alguma coisa parecida, ou já viu algum filme parecido? Deixe as suas experiências e pensamentos nos comentários.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *