O que são as Leis da Robótica?

leis-da-robotica

Um termo muito conhecido e utilizado em obras de ficção científica, as leis da robótica acompanham quase todas as histórias onde existem robôs com inteligência artificial, sendo a barreira de proteção entre humanos e máquinas (que em quase todos os casos é superada). Mas o que são as leis e como surgiram?

Isaac Asimov é um nome mundialmente reverenciado como um dos maiores mestres da ficção científica, tendo inúmeras obras literárias sobre futuros diversos, explorando os avanços imaginados da humanidade. O estadunidense explorava principalmente os robôs em suas histórias, criando contos maravilhosos sobre as relações entre homens e suas criações mecânicas e como elas alteravam o mundo que conhecemos.

Foi Asimov que criou as chamadas Três Leis da Robótica, que serviram de linha-guia para os personagens criados em suas obras. Três mandamentos simples que estariam implantados em toda inteligência artificial para garantir que as criações jamais fossem se voltar contra os humanos, tema muito explorado pela ficção científica.

As leis são:

1ª – Um robô não pode ferir um ser humano ou, por omissão, permitir que um ser humano sofra algum mal.

2ª – Um robô deve obedecer as ordens que lhe sejam dadas por seres humanos, exceto nos casos em que tais ordens entrem em conflito com a Primeira Lei.

3ª – Um robô deve proteger a sua própria existência, desde tal proteção não entre em conflito com a Primeira e/ou Segunda Lei.

as-tres-leis

Nas obras do próprio Asimov, era comum que brechas fossem encontradas e exploradas por robôs e humanos, mostrando que mesmo as leis máximas poderiam ser contornadas.

Posteriormente Asimov criou a chamada Lei Zero, que estaria colocada acima de todas as outras:

Um robô não pode causar mal à humanidade ou, por omissão, permitir que a humanidade sofra algum mal.

Outros autores, aproveitando a linha criada por Asimov, criaram as suas próprias leis adicionais em suas obras, sendo que a mais interessante é um robô deve sempre se identificar como um robô em todos os casos, garantindo que a inteligência artificial não consiga se manter oculta entre humanos.

Assim como a previsão de H.G. Wells das bombas atômicas tornou-se realidade, muitos veem as Leis da Robótica de Asimov como um futuro possível. Os avanços cada vez mais rápidos na biônica, cibernética e na inteligência artificial tornam palpável um mundo onde robôs e humanos coexistem, e as Três Leis seriam o primeiro passo para garantir a coexistência pacífica. Porém, como mostrado em várias situações, elas não são infalíveis, mas apenas quando a ficção tornar-se realidade é que saberemos o que acontecerá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *