Um Momento

Uma única faísca. Energia comprimida tão infinitesimalmente aperta que, com uma única faísca, cresceu e se expandiu. Ela se afastou de si mesma; afastando, torcendo, tentando escapar do próprio alcance. Bolas de energia viraram chamas, acendendo a escuridão e lançando luz nas sombras rochosas conforme elas se afastavam umas das outras. Moléculas se agruparam em um domo brilhante de substância translúcida. Ondas bateram na praia. Peixes viraram répteis, e os répteis viraram dinossauros; cada iteração se afastando cada vez mais de si mesma. Árvores cresceram e caíram, florestas inteiras mudaram e se coloriram através das estações. Pedaços de terra, à deriva sobre um manto de magma, tremeram e se agitaram – sempre se empurrando, apenas para atingirem uns aos outros e se erguerem aos céus antes de desabarem no mar. Um macaco virou um homem, e o homem virou uma máquina, moldando o universo à sua vontade. Cidades surgiram e desapareceram, civilizações inteiras nasceram e morreram. A grande distância do universo se esticou pela eternidade, antes de ceder e voltar caindo sobre si mesma. A luta estava perdida; aquela faísca única colapsou sobre si mesmo, enquanto silêncio e escuridão assumiam mais uma vez.

– Conte-me uma história. – Ela havia pedido.

Para o que Ele respondeu, depois de um momento pensando:

– Eu não saberia por onde começar.


Extraído de Reddit

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *